Imprimir esta página

Governos devem criar políticas para incentivar produção literária Destaque

A escritora nigeriana Toyin Adewale-Gabriel afirmou quarta-feira, em Luanda, que a projecção da literatura africana no mundo passa pela criação de políticas governamentais de incentivo à produção e divulgação do trabalho dos escritores.

Falando à Angop à margem de um encontro promovido pela União dos Escritores Angolanos (UEA), Toyin Gabriel considerou que os governos devem incentivar a criação de editoras, de escolas de literatura, bem como promover eventos que facilitem o intercâmbio com escritores africanos e de outros continentes.     

 "Nós temos em África escritores com muita qualidade e que merecem ser estudados e divulgados pelo mundo, cujo trabalho ajuda a ter uma melhor percepção da nossa realidade e anseios", frisou.       

Ao falar da sua experiência profissional, a autora de "Naked Testimonies" disse se sentir privilegiada por ter crescido numa família que apesar de humilde deu sempre valor aos livros e ao conhecimento como principal ferramenta para se afirmar na sociedade.   

Mesmo antes de conquistar o seu espaço e respeito no mundo das letras, explicou, decidiu ser activista dos direitos das mulheres escritoras no seu país, acção que culminou em 1991 com a fundação da Associação Mulheres Escritoras da Nigéria.     

 "Escrevo como mulher e estórias para mulheres. Faço isto de forma consciente, pois sei que para nós a situação ainda é precária. É difícil partilhar esta actividade com as nossas obrigações de mãe, esposa e filha", frisou.   

 Nas suas obras aborda questões sociais como a discriminação e a pobreza que afecta 15 milhões de nigerianos (segundo dados da ONU), por esta razão Toyin Gabriel define os seus poemas como sendo interventivos.       

 Para o secretário-geral da UEA, Carmo Neto, além da troca de experiência, a união está a aproveitar a sua vinda a Angola para encetar contactos para o intercâmbio cultural entre autores nacionais e nigerianos.      

 Segundo o responsável, pretende-se facilitar a participação de escritores nacionais no festival de literatura da Nigéria, bem como tradução das obras de português para inglês e vice-versa.   

 Nascida em Ibadan, na Nigéria, os seus escritos incluem, entre outras obras, "Naked Testimonies" (1995), "Die Aromaforscherin" (1998) e "Flackernde Kerzen" (1999).  

 Em 1995, "Naked Testimonies" mereceu uma menção honrosa nos prémios de poesia da Associação de Autores Nigerianos, e em 2001 o seu poema "Slelter of Rain" ganhou o terceiro prémio da Sociedade Musical de Prémios de Poesia na Nigéria.   

 É presidente do comité internacional de poetas, editores e novelistas.  

 

 UEA-Digital, seomara Santos, Fonte Angop

Ler 4636 vezes