testeira-loja

A alma de uma época está em todos

os seus poetas e filósofos e em nenhum.

Fernando Pessoa

 

Publicado em Críticas e Ensaios
segunda, 11 janeiro 2010 20:22

As Três Partes do Corpus Lírico de Camões

A delimitação do corpus lírico de Camões, dentro do vasto universo textual que lhe tem sido atribuído, com ou sem razão, ao longo de 400 anos, levou o professor Emmanuel Pereira Filho a propor, em caráter ainda preliminar e pioneiro, a teoria do cânone mínimo, como base para qualquer investigação posterior de crítica autoral ou de crítica textual.
Publicado em Críticas e Ensaios
Há 21 anos, em 1978, em Portugal, sob a direção de António José Saraiva, o quinto número da revista Raiz e Utopia vinha à publico. Neste número, um artigo se destaca, «Psicanálise mítica do destino português», de Eduardo Lourenço.
Publicado em Críticas e Ensaios
O estudo pioneiro de Edward Said sobre a visão do Oriente na literatura e no pensamento ocidentais ignora quase completamente a existência de uma tradição orientalista na literatura portuguesa, e se o ilustre estudioso palestiniano menciona a presença portuguesa no Oriente, limita-se ao período hegemónico de Portugal, ou seja o século 16.
Publicado em Críticas e Ensaios
O jornal L'Etudiant Noir, editado em Março de 1935, em Paris, sempre foi referido e trechos dos seus textos aludidos por intelectuais lusófonos e de outras áreas, sem que alguma vez tenha sido consultado, pois o cotejo dessas alusões com a matéria aludida comprova que o único número de que há conhecimento não terá sido tão visto como as inúmeras referências pareciam mostrar.
Publicado em Críticas e Ensaios

A língua que eu quero é essa que perde a função

e se torna carícia. O que me apronta é o simples

gosto da palavra, o mesmo que a asa sente aquando

o vôo. Meu desejo é desalinhar a linguagem, colocando

nela as quantas dimensões da Vida. E quantas são?

Se a vida tem, é idimensões?

Mia Couto

 

Publicado em Críticas e Ensaios
A língua materna do colonizado, aquela que é nutrida por suas sensações, suas paixões e seus sonhos, aquela pela qual se exprimem sua ternura e seus espantos, aquela enfim que contém a maior carga afetiva, essa é precisamente a menos valorizada. Não possui dignidade alguma no país ou no concerto dos povos.
Publicado em Críticas e Ensaios
segunda, 11 janeiro 2010 20:07

«A Geração da Utopia»: Pepetela

«Marco Polo descreve uma ponte, pedra por pedra. Mas qual é a pedra que sustenta a ponte?- pergunta Kublai Khan. A ponte não é sustentada por esta ou por aquela pedra responde Marco, mas pela curva do arco que estas formam. Kublai Khan permanece em silêncio, refletindo. Depois acrescenta:
Publicado em Críticas e Ensaios
O autor inicia a obra com um narrador em 1ª pessoa do plural, isto é, um narrador autodiegético que participa na acção não só como contador de histórias, mas também como elemento representativo da própria família Trago, descrevendo o seu universo, recorrendo-se à memória dos familiares mais idosos, a fim de recriar as várias gerações duma família da ilha da Boa Vista.
Publicado em Críticas e Ensaios
Pág. 11 de 30

Contacto

AV. Ho-Chi-Min, Largo das Escolas
1.º de Maio - CEP 2767 Luanda

Telefone: (222) 322 421 Fax: (222) 323 205

e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Blogs

blogspotuea1    blogspotueamulembeira           blogspotueanguimba
         
ytlogo2   blog-poetenladen   logotips