Bio Quem

Ernesto Pires Barreto De Lara Filho

Benguela

tinha tico-tico e colo-colo

nesse tempo

mesmo na Praia Morena

E o Mar

escondia

jamantas terríveis

E tinha

Carangueijos,

santolas,

que agente caçava com fisga.

Foi o filho do Rodrigues

despachante

que ensinou

Nada se perdeu;

o búzio ali está na mezinha de cabeceira

zunindo histórias,

fazendo lembrar

o menino que eu fui.

“Poema da Praia Morena”. In: Ernesto Lara Filho. O Canto do Matrindinde. Lobito, Editorial Capricórnio, 1974, p.57.

Ernesto Pires Barreto de Lara Filho, nasceu em Benguela, a 2 de Novembro de 1932 e faleceu a 7 de Fevereiro de 1977, no Huambo em consequência de um trágico acidente de automóvel. Fez os seus estudos primários e secundário em Benguela, seguindo para Portugal onde concluiu o curso de regente agrícola em 1952.

Andou pela Europa, viveu em tempo em Moçambique, regressando para Angola fixou-se em Luanda, onde exerceu várias profissões como a de jornalista. Foi locutor na Rádio Brazaville, operário especializado de 1ª classe nos Serviços de Agricultura e Florestas de Angola, foi preso por motivos políticos, pela polícia política portuguesa.

“Comecei a pintar. Isso torna-se agora uma obsessão para mim. Gastei para cima de 400$00 na Lello em tintas, papéis e pincéis. Comecei pelo carvão e tenho aqui duas coisas que não me envergonham... Depois te mostrarei. Acho que estou a pique de encontrar o «meu meio de expressão». Só agora verifico – tão tarde! – que não será a escrever que me tornarei alguma coisa. O que tenho a realizar – acho que é na pintura que o devo procurar.” Extracto de uma carta a Rebelo de Andrade, Lépi, 22 de Setembro de 1961.

Participou em diversas actividades literárias e culturais, dirigiu juntamente com Rebelo de Andrade a «Colecção Bailundo» onde se publicaram três livros de poesia. Foi cronista do Jornal de Angola, de «Artes e Letras» da Província de Angola, redactor do ABC. Colaborou em vários jornais e revistas, como Mensagem (CEI), Cultura (II), Diário de Luanda, O Comércio e Notícias.

Tenho trinta e sete anos

Já conheci a prisão

o exílio e o hospital...

Como atraso de vida

não está mal, nada mal...

“Humorismo”. In: Ernesto Lara Filho. O Canto do Martrindinde. Luanda, União/Endiama, 1989, p.86.

Figura em diversas antologias, nomeadamente, Antologia de Poesia Angolana (1957), Poetas Angolanos (1959), Poetas Angolanos (1962), O Corpo da Pátria – Antologia Poética da Guerra do Ultramar, 1961-1971 (1971), Presença de Idealeda (1973), Angolana 81974), Poesia Angolana de Revolta (1975), Antologia da Poesia Pré-Angolana (1976), No Reino de Caliban. Antologia Panorâmica da Poesia Africana de Expressão Portuguesa (1976), Poesia de Angola (1976). Foi co-fundador da UEA.

As suas obras publicadas são: Picada de Marimbondo (1961), O Canto do Martrindinde e Outros Poemas Feitos no Puto (1964), Seripipi na Gaiola (1970), O Canto do Martrindinde (1974, 1989), Crónicas da Roda Gigante (1990).

“’Escritor maldito’, mesmo na pós-independente sociedade do Huambo, pela sua boémia postura, Ernesto Lara Filho nunca abandonou o espírito inconformista e libertário em relação a normas e convenções – embora o tivesse tentado: esforçou-se por acabar o curso e até tirar um curso superior, para satisfazer as expectativas da família, como sua irmã Alda Lara. Na poesia de Lara Filho há o elogio da individualidade, a apologia humorística do inconformismo em relação ao intelectualismo, a apologia da diferença e o elogio da marginalidade, o escárnio face ao esgotamento de formas, ideias dominantes e normas sociais, a reacção contra o convencionalismo estético – uma atitude que é reflexo do seu posicionamento perante a vida e o mundo.” In: Inocência Mata. Literatura Angolana: Silêncios a Falas de Uma Voz Inquieta. Lisboa, Mar Além, 2001, p. 234.

O canto do Martrindinde

é um canto da cidade

vem pela noite dentro

cheio de ambiguidade

O canto do Matrindinde

é um cantar nacional

veio do mato à cidade

e tornou-se universal.

“O Canto do Martrindinde”. In: Ernesto Lara Filho. O Canto do Martrindinde. Luanda, União/Endiama, 1989, p. 64.

Informação Adicional

  • Nascido em: 1932-11-02
  • Naturalidade: Benguela
  • Gênero literário: Poesia

Contacto

AV. Ho-Chi-Min, Largo das Escolas
1.º de Maio - CEP 2767 Luanda

Telefone: (222) 322 421 Fax: (222) 323 205

e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Blogs

blogspotuea1    blogspotueamulembeira           blogspotueanguimba
         
ytlogo2   blog-poetenladen   logotips