testeira-loja

Caçadas de Pedrinho, publicado em 1933, teve origem em A caçada da onça, de 1924. Portanto, poucas décadas após a abolição da escravatura, que aconteceu sem que houvesse qualquer ação que reabilitasse a figura do negro, que durante séculos havia sido rebaixada para se justificasse moralmente a escravidão, e sem um processo que incorporasse os novos libertos ao tecido da sociedade brasileira. Os ex-escravos continuaram relegados à condição de cidadãos de segunda classe e o preconceito era aceito com total normalidade.

Livro: Landry-Wilfrid Miampika [editor], La palabra y la memoria: Guinea Ecuatorial 25 años después, Madrid, Editorial Verbum, 2010

A Guiné Equatorial continua a ser uma realidade improvável no imaginário lusófono; improvável porque desconhecida ou apenas lembrada pela posse de jazidas de petróleo, por um regime ditatorial, caracterizado pela violência, e por uma tentativa de adesão à CPLP conturbada. Para os meios de comunicação social e para os leitores lusófonos pouco mais existe, apesar da ligação histórica de Ano Bom a Portugal e de São Tomé e Príncipe partilhar um arquipélago em que se inserem as ilhas sob soberania da Guiné Equatorial, a saber a referida ilha de Ano Bom e a antiga ilha de Fernando Pó, hoje Bioko.

National Geographic em contexto

Há mais de um século a National Geographic tem-se encarregado de levar informação geográfica, histórica, cultural e social de diversas partes do mundo às nossas casas, em especial aos lares norte-americanos1.  África é objecto de estudo constante por parte da revista e dos seus colaboradores, cerca de 300 artigos sobre o continente africano já foram publicados ao longo da sua existência. Estudá-los todos numa conferência seria impossível, mas é possível fazer uma selecção de alguns artigos publicados no século XIX e na primeira metade do século XX e analisar os discursos e representações que se fazem do continente africano 2. Assim sendo, este artigo constitui parte de um trabalho mais abrangente e complexo que analisa os cerca de 300 artigos que a revista publicou sobre o continente africano.3  

Nunca houve um monumento da cultura que não fosse também um monumento de barbárie.

Walter Benjamin, 1996: 225

Embora defenda sempre a necessidade de distinguir o pessoal do profissional, percebo que essa distinção hoje mostra-se impossível para mim. Não há como não me  sentir, nesse momento, misturada ao tentar falar desse notável Desmedida, que ficou como um dos últimos legados deixados pelo Ruy Duarte. E dos mais valiosos para nós brasileiros. Porque a emoção é indisfarçável, eu antecipo o meu pedido de desculpas por não conseguir a dose de rigor que foi sempre uma das marcas essenciais do autor desse e de outros  livros fundamentais.

Contacto

AV. Ho-Chi-Min, Largo das Escolas
1.º de Maio - CEP 2767 Luanda

Telefone: (222) 322 421 Fax: (222) 323 205

e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Blogs

blogspotuea1    blogspotueamulembeira           blogspotueanguimba
         
ytlogo2   blog-poetenladen   logotips